20°

Poucas nuvens

Paracatu - MG

Colunistas Colunista

O Dia de Ação de Graças

Professor Carlos Oliveira

01/12/2020 às 11h33
Por: Paulo Sérgio
Compartilhe:
Imagem da Internet
Imagem da Internet

O Dia de Ação de Graças (conhecido em inglês como Thanksgiving Day) é um feriado celebrado maioritariamente nos Estados Unidos e no Canadá. Nos Estados Unidos é celebrado toda última quinta-feira do mês de novembro, e no Canadá, toda segunda-feira da segunda semana do mês de outubro.

Como o próprio nome diz, o Dia de Ação de Graças é uma data em que as pessoas se reúnem e demonstram sua gratidão a Deus pelas bênçãos recebidas durante o corrente ano. É também um momento para expressar carinho pelos amigos e familiares. Este é um dos feriados mais importantes dos Estados Unidos e Canadá, juntamente com o Natal e o Ano Novo. É um feriado familiar, em que é normal realizar longas viagens para que os parentes estejam reunidos.

Aproveitando essa data e o ano atípico que vivemos, proponho a seguinte reflexão: Há quem diga que este ano nada teve de bom, logo nada temos que agradecer. Errado!

Esse erro pode ser entendido por meio de três pontos:

1º - a mania de olhar superficialmente as coisas: Tendemos a viver de aparências e acreditarmos que tudo que é benéfico, a princípio, sempre nos faz rir, nos dá prazer, apetece os nossos olhos e segue uma certa ‘normalidade’. No entanto, a exemplo da paixão de Cristo, aprendemos que a paz, a luz, a prosperidade, a benevolência, a cura, a esperança e a vida podem vir, por vezes, por meio do sacrifício, da coroa de espinhos, da humilhação, da traição, da lágrima de sangue e da morte. Portanto, lembremo-nos e agradeçamos porque, nas palavras do apóstolo Paulo, ‘todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus’;

2º - a mania de achar que tudo está sob o nosso controle: Embalados pelo mundo ‘organizado e disciplinado’ que nos cerca, queremos determinar e controlar tudo em nossa volta, às vezes, até mesmo a vida alheia. Mas este ano atípico nos ensinou que não controlamos nem mesmo os nossos sentimentos, quanto mais os fenômenos que nos rodeiam. Lembremo-nos também do conselho de Salomão: ‘o coração do homem faz muitos planos, mas a resposta certa vem da boca de Deus’. Portanto, agradeçamos pela resiliência que nos fez chegar até aqui;

3º - a mania de tirar conclusões precipitadas: Enquanto não chegar 31/12, este ano não acabou e tudo pode acontecer, como por exemplo, um jovem de apenas 23 anos virar prefeito de uma importante cidade. Lembremo-nos de mais um conselho de Salomão e agradeçamos ‘melhor é o fim das coisas do que o seu começo’. Portanto, devemos dar graças a Deus por termos chegado até aqui, pois no futuro próximo, poderemos compartilhar muito aprendizado.

Por fim, compartilho com vocês um último pensamento, do filósofo Sartre. Ele diz: “Não importa o que a vida fez de você, mas o que você faz com o que a vida fez de você”. Podemos deduzir de tudo isso que, mais importante do que os fatos, as circunstâncias ou mesmo as tragédias que nos sobrevêm, é o ângulo com que as enxergamos e, sobretudo, as atitudes que tomamos diante delas. Se olharmos com bons olhos, veremos que há muito o que agradecer até aqui: o fôlego de vida, o alimento, a saúde, a família, as amizades, a esperança, o amor, a fé, enfim, o aprendizado... É isso. Fiquem com Deus!  

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.