Sexta, 17 de Setembro de 2021 08:00
(38) 99966-3864
Cidade Paracatu Assédio Sexual

Funcionária chama a polícia para o patrão, após sofrer assédio sexual em Paracatu

O suspeito de 56 anos dono de uma clínica odontológica, disse para a polícia que estava brincando com a vítima.

04/08/2021 14h27 Atualizada há 1 mês
Por: Paulo Sérgio
Da internet
Da internet

Uma funcionária de uma clínica odontológica, chamou a polícia para o patrão de 56 anos, após sofrer assedio sexual.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima de 19 anos, relatou que começou a trabalhar em uma na clínica de odontologia no dia 28 de Julho de 2021 e que desde então, percebeu um comportamento estranho do patrão.

A vítima relatou aos militares, que o suspeito afastou uma funcionária antiga e disse que ele mesmo iria realizar o treinamento dela, porém, durante os procedimentos ficava abraçando a vítima, que se esquivava e pedia par que ele parasse com a importunação.  

O suspeito a todo momento buscava ter contato com a funcionária, que rejeitava a aproximação do patrão, que para disfarçar a sua intenção, falava que estava brincando com a vítima.

A vítima ressaltou aos militares que chegou para trabalhar na clínica, e que estava passando o café, momento que o patrão chegou, a puxou pelo braço e tentou colocá-la em seu colo, momento em que ela se esquivou e pediu para que ele parasse com os abusos, ameaçando largar o trabalho.

Mesmo diante da reação da funcionária, o patrão não parou com a importunação e pegou no cós da calça da jovem, tentando olhar por dentro da roupa da vítima, e a todo momento importunado a funcionária.

Após toda ação constrangedora sofrida, a funcionária saiu para o horário do almoço, mas decidiu não retornar ao trabalho e chamou a polícia.

No momento que os militares realizavam o registro de ocorrência, o suspeito ligou para a funcionária, pedindo desculpas e que isso não iria mais acontecer, que tudo foi só uma brincadeira".

A vítima teve a ideia de colocar o telefone no Viva-Voz e os militares que estavam realizando o boletim de ocorrência, confirmou a versão contada pela funcionária.

Segundo a PM, os militares se deslocaram para a clínica odontológica juntamente com a vítima para pegar a sua carteira de trabalho e colher a versão do suspeito, que relatou aos militares que estava brincando com a vítima.

 O caso foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil de Paracatu.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.