Avião que levava time da Chapecoense cai na Colômbia deixando 76 mortos e cinco feridos t> Visite-nos no Google+
noticias
http://paracatunews.com.br
loading
29/11/2016, 08:26:31
dc03a580d0fafe69104275bc8501e5b6.jpg
Avião que levava time da Chapecoense cai na Colômbia deixando 76 mortos e cinco feridos
Chapecoense enfrentaria o Atlético Nacional de Medellín pela final da Copa Sul-Americana

Um avião que transportava o time de futebol da Chapecoense caiu na madrugada desta terça-feira na Colômbia, para onde a equipe viajava para disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional de Medellín.

Oitenta e uma pessoas estavam a bordo, entre jogadores, jornalistas e tripulantes.

A Polícia do Departamento (Estado) de Antióquia, informou à agência de notícias Reuters que 76 pessoas morreram e cinco sobreviveram.

Destroços do aviãoImage copyrightTELEANTIOQUIA VIA TWITTER

O avião da companhia boliviana Lamia caiu numa área de montanhas quando se aproximava da cidade de Medellín

Entre os sobreviventes confirmados estão os goleiros Danilo e Follmann, o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel, assim como uma aeromoça, cuja identidade não foi informada.

O mau tempo na região torna mais difícil o trabalho de resgate, que foi suspenso nas últimas horas por causa da forte chuva.

O avião partiu-se em três pedaços. O local da queda, próximo a Medellín, no Departamento (Estado) de Antióquia, é montanhoso e de difícil acesso.

Mais cedo, o prefeito da cidade de Medellín, Federico Gutierrez, informara à agência de notícias France Presse que 25 pessoas tiveram a morte confirmada e que ao menos cinco pessoas haviam sido resgatadas com vida.

O avião, um RJ85 da companhia boliviana Lamia, com 17 anos de uso, havia feito uma escala em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e seguia para Medellín.

Segundo um comunicado do Aeroporto José María Córdoba, de Medellín, a tripulação comunicou uma emergência por "falhas elétricas" por volta das 22h15 locais (1h15 de Brasília).

Local do acidenteImage copyrightMI ORIENTE

As equipes de resgate só conseguem chegar ao local do acidente por terra. O mau tempo prejudica os trabalhos.

A Confederação Sul-Americana de Futebol anunciou a suspensão da competição e de todas as suas atividades esportivas.

"É uma tragédia de grandes proporções", disse o prefeito da cidade de Medellín, Federico Gutierrez, à Rádio Blu da Colômbia, quando estava a caminho do local do acidente.

Um breve comunicado foi publicado na página da Chapecoense no Facebook e diz:

"Em função do desencontro das notícias que chegam das mais diversas fontes jornalisticas, dando conta de um acidente com a aeronave que transportava a delegação da Chapecoense, a Associação Chapecoense de Futebol, através de seu vice-presidente Ivan Tozzo, reserva-se o direito de aguardar o pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana, a fim de emitir qualquer nota oficial sobre o acidente. Que Deus esteja com nossos atletas, dirigentes, jornalistas e demais convidados que estão junto com a delegação."

O clube brasileiro está fretando um voo para levar uma comissão de médicos e advogados até a Colômbia.

O prefeito Elkin Ospina, da cidade de La Ceja, que fica próxima ao local do acidente, está na região e disse que a prioridade é a busca por sobreviventes. Segundo Ospina, três passageiros - jogadores da Chapecoense - teriam sido resgatados com vida.

De acordo com a imprensa colombiana, o piloto do avião teria conseguido descartar todo o combustível para evitar uma explosão.

A Força Aérea da Colômbia informou que o mau tempo impediu que um helicóptero militar fosse eviado para ajudar no resgate.

A Chapecoense enfrentaria o Atletico Nacional de Medellín na final da Copa Sul-Americana, na próxima quarta-feira, em Medellín.

O clube colombiano divulgou uma breve mensagem no Twitter.

"O Nacional lamenta profundamente e se solidariza com @chapecoensereal pelo acidente ocorrido e espera informações das autoridades".

O prefeito da cidade de Chapecó, Luciano Buligon, deveria ter embarcado no mesmo voo, mas acabou não indo e ficou em São Paulo.

Ele lamentou o acidente e contou que seu nome estava na lista de passageiros por engano.

 

BBC BRASIL

Foto AFP