Final emocionante da Recopa vai à prorrogação e termina com vitória do Atlético e título Visite-nos no Google+
noticias
http://paracatunews.com.br
loading
24/07/2014, 10:00:25
5d0762e9ac876247894276791a7a02dd.jpg
Final emocionante da Recopa vai à prorrogação e termina com vitória do Atlético e título
Lanús fez 3 a 2 durante os 90 minutos, mas Galo marcou duas vezes na parte decisiva

Torcedor do Atlético já sabe. Jogo decisivo é sinônimo de tensão. Foi assim na Copa Libertadores de 2013 e agora na Recopa deste ano. Apesar dos sustos, o final foi semelhante, com título e festa no Mineirão.

O Galo conquistou  uma vitória de forma emocionante na prorrogação. O resultado de 4 a 3 garantiu o título inédito para a galeria alvinegra. Diego Tardelli, Maicosuel, Luan e Ayala (contra) foram os autores dos gols do campeão. Os argentinos marcaram com Ayala, Santiago Silva e Acosta.

Há um ano, a Libertadores era conquistada. Nesta quarta-feira, o torcedor atleticano fez uma comemoração dupla com outra conquista internacional.

O destino colocou o Olimpia, do Paraguai, nas decisões da Conmebol de 1992 e da Libertadores de 2013. Já o Lanús foi o rival no bicampeonato de 1997 e agora no inédito título da Recopa.

Em 1997 a conquista veio com vitória na Argentina (4 a 1) e empate (1 a 1) no Mineirão. Em 2014, foi diferente. No La Fortaleza, vitoria atleticana por 1 a 0. Em Belo Horizonte, triunfo por 4 a 3.

Primeiro tempo

O jogo começou como o Atlético gostaria, ampliando a vantagem aos seis minutos. O árbitro marcou pênalti após um cabeceio de Leonardo Silva parar no braço de Ayala. Coube a Diego Tardelli converter e ainda cravar a marca de 100 gols com a camisa alvinegra.

O clima era de festa e o resultado poderia indicar uma sequência de jogo tranquila para o Galo. Não foi o que aconteceu. Com troca de passes curtos e movimentação, o Lanús conseguiu envolver a defesa atleticana.

Logo aos oito, veio o empate. Os argentinos fizeram boa jogada pela direita e Ayala bateu cruzado, sem defesa para Victor. O time armado por Guillermo Barros Schelotto mostrava boa troca de passes e deixou o setor defensivo atleticano desarrumado após sofrer o primeiro gol.

Disposto a atrapalhar a festa no Mineirão, o Lanús virou o placar. Ayala cobrou falta cruzada na área e Victor defendeu. Mas Santiago Silva aproveitou o rebote para balançar a rede.

O placar adverso serviu para deixar o Atlético alerta. Diego Tardelli e Maicosuel foram mais efetivos no setor de meio-campo. Se o camisa 9 já tinha feito o seu gol, o camisa 11 também deixou a sua marca na decisão. Aos 36, Maicosuel completou belo cruzamento com efeito de Marcos Rocha para empatar.

Segundo tempo

Voltar para a Argentina com o vice-campeonato não estava nos planos do Lanús. Schelotto armou o time de forma ousada para a etapa final. Com a posse de bola, apenas os dois zagueiros se postavam no campo de defesa.

Para o Atlético, era claramente um jogo de contra-ataque. Foi dessa maneira que o terceiro gol quase aconteceu. Ronaldinho Gaúcho ficou cara a cara com Marchesín e bateu de cobertura, mas Gómez impediu que a bola entrasse.

O problema é que um contra-ataque bem encaixado como este foi raridade na etapa final. O Lanús pressionava em busca do terceiro gol e o Galo desperdiçava chances de “matar” o duelo.

Ficar sem a bola oferece riscos. O Lanús foi competente o suficiente para incomodar muito a meta de Victor nos 45 minutos finais. E o bloqueio foi furado já nos acréscimos. Santiago Silva cabeceou e o goleiro atleticano deu rebote que Acosta aproveitou.

Prorrogação

Apesar do cansaço físico das duas equipes, a parte decisiva do confronto foi disputada em alto nível. Atlético e Lanús mostraram disposição para atacar e evitar a disputa de pênaltis.

Os argentinos tiveram chance com cobrança de falta perigosa de Ayala. Mas foi o Galo que marcou. Luan foi lançado na ponta esquerda e tentou o cruzamento. A bola foi desviada por Gustavo Gómez e enganou o goleiro Marchesín.

O empate já garantia o título para o Galo. Mas o Mineirão comemorou outro gol. Ayala fez um recuo que o goleiro Marchesín não entendeu e deixou a bola passar.

Atlético 4 x 3 Lanús

Atlético

Victor, Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Emerson Conceição; Pierre, Leandro Donizete, Maicosuel (Guilherme), Ronaldinho Gaúcho (Luan) e Diego Tardelli (Dátolo); Jô.
Técnico: Levir Culpi

Lanús
Agustín Marchesín; Carlos Araújo (Melano), Gustavo Gómez, Diego Braghieri e Maximiliano Velásquez; Leandro Somoza, Diego González e Jorge Ortiz (Pasquini); Lautaro Acosta, Santiago Silva e Victor Ayala
Técnico: Guillermo Barros Schelotto

Gols: Diego Tardelli (6min/1ºT), Ayala (8min/1ºT), Santiago Silva (25min/1ºT), Maicosuel (36min/1ºT), Acosta (47min/2ºT), Luan (12min/1ºT da prorrogação) e Ayala (contra, 7min/2ºT da prorrogação)

Cartões amarelos: Pierre, Réver e Diego Tardelli (ATL), Somoza, Gómez, Braghieri, González, Acosta e Ayala (LAN)

 

Cartão vermelho: Acosta (Lanús)

Público: 54.786
Renda: R$ 5.732.930,000

Motivo: segundo jogo da final da Recopa
Data: 23/07/2014, quarta-feira, às 22 horas
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Roberto Silvera (Uru)
Assistentes: Miguel A. Nievas (Uru) e Nicolas Taran (Uru)

 

Fonte: EM

Foto:Rodrigo Clemente/EM/ DA Press